Dia Sem Compras


Contra a corrente, desenhamos essa ponte BH-Fortaleza by D. Graça
agosto 10, 2011, 5:20 pm
Filed under: Eventos | Tags: ,

“La lucha es como un circulo, se puede empezar en cualquier punto pero nunca termina.”

El Sup.

Faz algum tempo que vivemos, aqui em Belo Horizonte, uma ânsia em comum, presente numa série de conversas que mantivemos como possíveis em meio ao arrastão do dia-a-dia, nas travessias e questões que insistimos em conduzir pelas vias de contramão, contradição, conflito e acomodação. Essa ânsia se resume de modo não tão simples: que fatos e aprendizados estão ainda sendo produzidos no seio das lutas anticapitalistas que se desencadearam – ou continuaram se tecendo – ao longo dos últimos 10 anos? Que narrativas estão hoje se escondendo nas profundezas da dispersão, do esquecimento produzido entre nós mesmos, quando nos entranhamos nas tramas de uma sociedade pós-industrial crescentemente consumista? O que as lutas dessa última década de crises e conflitos nos deixam no plano das investidas radicais contra o reinado da economia mercantil?

É nessa perspectiva que a Universidade Pirata, a Associação Comunitária d@s Amig@s de Pereira (ACAP), juntos @s Proletarizad@s Contra a Corrente (PCaC), convidam para a troca de relatos em torno da última década de lutas anticapitalistas em Belo Horizonte e Fortaleza, para fortalecermos ações a partir daí. Além disso, está no centro desta proposta traçarmos um apanhado geral sobre as lutas atuais, em época dos mega-eventos dos jogos da Copa do Mundo e Olimpíadas e de uma nova geração de movimentos que, de um modo ou de outro, bebeu dos ensinamentos propiciados pelos confrontos da última década.

“Há muito tempo, possuímos o sonho de uma coisa no mundo, da qual nos faltou sempre a consciência para que pudéssemos realmente possuí-la. Então não precisamos traçar uma linha de separação entre o passado e o futuro, mas realizar hoje, a partir das próprias características do capitalismo contemporâneo, os desejos que sempre tivemos. Não nos importa dar início a uma nova caminhada, mas continuar a caminhar com conhecimento de causa. Este é um sonho cuja realização, agora como antes, cabe-nos enquanto proletarizad@s que, em nossas lutas, fazemo-nos o sujeito da ação e do conhecimento da ação; e que, nesta ação autônoma de negação das alienações, podemos propor e realizar o projeto da autonomia individual e social”.

PCaC

Vind@s de Fortaleza, @s PCaC se meteram numa longa trajetória de atuação teórica e prática junto às antigas esquerdas das décadas de 1980 e 1990, o que lhes ofereceu importantíssimos elementos para uma crítica das próprias esquerdas em âmbito nacional e internacional. Durante toda a última década, sua atuação se voltou para a fundamentação e incentivo da ruptura com as alternativas de luta voltadas para a tomada do Estado ou para a reconciliação de classes exemplificada nos sindicatos, ONG’s, Fóruns Sociais, entre outros. Se apresentam como parte dos grupos agitadores e participantes dos chamados Dias de Ação Global contra o Capitalismo, coordenados pelas conferências da Ação Global dos Povos (AGP) desde 1997. Têm publicados 12 números de sua revista homônima, disponíveis como impressos e no seu site.

+ infos::
http://www.inventati.org/contraacorrente/
https://diasemcompras.wordpress.com


Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: